domingo, 20 de março de 2011

VELEIDADE

Se a alma se refugia…
Num lamento abafado…
Que te faz da noite, dia…
E da palavra um fado…
Se num lento sentido…
Em qualquer direcção…
Um caminho perdido…
Chama a tua atenção…
Como a gota de água
Que desce pelo céu…
Ou a ponta de mágoa…
Descoberta de um véu…
Tens que te aperceber…
Dentro do consciente…
Se deves percorrer…
A vontade existente…

Alex M

2 comentários:

Tyr disse...

De fato, belo!

Alex M disse...

Muito obrigado pelas palavras...