sábado, 5 de março de 2011

INEXISTÊNCIA

E eis que me acena
Um adeus definido…
Como qualquer pena…
Que invade o sentido…
Na luz da escuridão…
Sento-me, cansado…
Busco a orientação…
Perdida no estado…
Se sobra o pensar…
O que já nada diz…
Só vou lamentar…
O que não desfiz…
Se resposta tenha…
Que seja evidente…
A chama que venha…
Define o ausente…

Alex M

6 comentários:

Rogério Pereira disse...

RÉPLICA

O que faremos
Com resposta pronta…
Que seja puro, que seja duro…
A chama que venha…
Define o futuro…

:))

Alex M disse...

Define o futuro...
E os passos a dar...
Seja puro ou duro...
Chega para ficar...

:))

Eduarda disse...

que seja puro e duro enquanto fique..o depois serão passos a inventar.

adorei passar por aqui.

bj

Alex M disse...

Que dos passos inventados se construam os caminhos sonhados...

A "porta" estará sempre aberta.

bj

AFRICA EM POESIA disse...

Passei devagarinho e deixei...

Eduarda
A força das tuas palavras fizeram-me bem
Obrigada por passares por aqui
Desde Aveiro um beijo


LIBERDADE


Liberdade
Felicidade de ser
Felicidade de estar
Felicidade de saber ser
Cortar amarras
Deixar prisões
E alargar o amor
Para vencer a liberdade

Ser livre e livre
Estar solto
E saber dar valor
Ao melhor
Que a vida lhe deu
E que é tão pouco
Pois é apenas...
A sua Liberdade...


LILI LARANJO

Alex M disse...

Por mais que me pareça que o comentário não seja directamente para mim, agradeço a passagem pelo ...Palavras... tal como o fantástico poema.

E sempre que necessário for, este cantinho estará disponível.